Técnico ou tecnólogo: qual a diferença?

Muitas pessoas se confundem com os dois termos utilizados para os cursos. Mas, isso só acontece porque elas não sabem ou, então, não lembram da diferença entre técnico e tecnólogo. Então, se você também possui dúvidas sobre o assunto, acompanhe o post até o final. A partir de hoje você vai saber como eles se diferem. E depois que tiver acesso a informação, poderá escolher aquele que melhor acompanha o seu objetivo e expectativas profissionais, seja o curso técnico ou tecnólogo. Confira mais logo abaixo!

Diferença entre técnico e tecnólogo

Então, sem mais delongas, vamos a diferença de técnico e tecnólogo. Na verdade, a principal delas é que apenas o tecnólogo é considerado um curso de nível superior. Afinal, o técnico é um curso de nível médio. Em outras palavras, para você ingressar em um curso tecnólogo, você precisa ter concluído o ensino médio, já que essa é uma graduação. Mas, para cursar técnico, você necessita apenas do certificado de conclusão de nível fundamental.

Dessa forma, as instituições que oferecem esses cursos também são diferentes. Enquanto os cursos técnicos são ofertados por institutos federais de educação, assim como, escolas técnicas, os cursos tecnólogos acontecem em universidades e centros universitários, as faculdades. Então, se você está procurando por um curso de graduação, a sua única escolha entre eles é o tecnólogo, que também é chamado de curso de tecnologia.

Já a duração de ambos é bem parecida, de dois a três anos. Porém, é possível ainda encontrar cursos técnicos com durações menores, como seis meses de estudo. Então, após a formação, o estudante do tecnólogo garante o seu diploma de nível superior. Dessa forma, pode ingressar em uma pós-graduação para conseguir uma especialização em um segmento específico da área. Ou, até mesmo participar de concursos públicos para cargos e nível superior. Já, o aluno que completou o curso técnico terá um certificado de nível médio. E depois disso poderá ingressar em uma graduação.

Qual dos dois cursos eu devo escolher?

Como falamos anteriormente, a escolha depende do nível de escolaridade que você tem no momento e de quais são os seus objetivos profissionais e acadêmicos. Ou seja, se você já terminou o nível médio, pode ser mais interessante apostar em um tecnólogo. Agora, se você tem só tem o certificado de nível fundamental, tem como única opção, o curso técnico. Aliás, há algumas instituições que atrelam o ensino médio a um curso técnico, assim, você aumenta o seu conhecimento em menos tempo. Confira se há essa opção na região que mora.

Qual a diferença entre curso tecnólogo, bacharelado e licenciatura?

Agora que você já sabe a diferença entre curso técnico e tecnólogo, precisamos esclarecer outra dúvida muito comum. Afinal, se o tecnólogo é considerado um curso de nível superior, qual é a sua diferença para o bacharelado e a licenciatura? Ambos possuem o mesmo nível de escolaridade, o nível superior. Então, a diferença está no formato do curso. O bacharelado e a licenciatura possuem um ensino mais voltado para a teoria da área escolhida, já o tecnólogo tem ensinamento mais voltado para a prática, o dia a dia de trabalho e o que o mercado de trabalho espera dos profissionais.

É por isso que enquanto a licenciatura tem no mínimo quatro anos de duração, o bacharelado até cinco anos (dependendo do curso), o tecnólogo fica entre dois e três anos de estudo. Afinal, os seus ensinamentos são mais direcionados para a prática. Sendo assim, entre os tecnólogos é normal encontrar cursos como: Gestão Comercial, Processos Gerenciais, Gestão de Recursos Humanos, Segurança Pública, Gestão de Segurança Privada, Secretariado, Gestão Financeira, Logística, Marketing, Negócios Imobiliários e outros. Então, se esse é o seu foco de trabalho, sugerimos que pesquise por instituições que ofereçam cursos de tecnologia, seja EAD ou no método presencial.

Além disso, vale lembrar de uma diferença entre os cursos de bacharelado e licenciatura. Os estudantes que optam por licenciatura, são aqueles que querem seguir a docência, ou seja, dar aulas. Afinal, é só esse formato que permite essa prática. Já o bacharelado oferece uma leque maior de atuação, mas não inclui a docência.

Mais pontos sobre o curso tecnólogo

É importante lembrar que no curso tecnólogo não é obrigatório o estágio supervisionado. Afinal, o aluno já tem acesso a muita prática durante o dia a dia da graduação. Porém, ainda há algumas instituições que podem cobrar a prática do estágio. Então, é interessante conferir a grade curricular do curso em cada faculdade, antes mesmo de fazer a sua matrícula. Assim, você terá acesso a mais informações.

Também não há a obrigatoriedade do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Porém, durante os dois ou três anos de aprendizagem, os alunos passam por diversas provas e trabalho, assim como, atividades complementares.

Escolha a sua área

Independente de qual for a sua escolha de formato de curso, é interessante pesquisar e levar em conta as suas preferências. Ou seja, relembre quais são as suas habilidades profissionais, com o que se imagina trabalhando daqui uns anos e o que gosta de fazer. Também vale pesquisar o mercado de trabalho, conhecer quais profissões estão em alta, quais áreas oferecem boas oportunidades de trabalho. E, até mesmo, observar quais são os salários oferecidos. Assim, você pode tomar uma decisão com maior prioridade e não se arrepender dela mais pra frente.

Agora, quanto ao formato escolhido, nada impede que você inicie um curso técnico agora e depois de concluir o ensino médio se matricule em um curso de tecnologia. As opções continuarão no mercado a sua espera. O importante é estar sempre alinhado com o seu objetivo e bem informado.

E desde o início do seu curso, aproveite para fazer bons contatos profissionais. Assim, você pode mostrar um pouco mais sobre a sua competência dentro da área e ser indicado, ao final do curso, para trabalhos na área. Afinal, não basta você ser bom em algo, é preciso que as pessoas também descubram suas habilidades e seu conhecimento prático. Então, fica essa dica para colocar em prática durante a vida acadêmica.

Deixe seu Comentário