Qual a diferença entre Alfabetização e Letramento?

O profissional que atua com Alfabetização e Letramento é fundamental em qualquer instituição de ensino tendo em vista que, conforme bem sabemos, a educação é a principal ferramenta para a transformação e desenvolvimento de uma sociedade. Por isso, essa é uma profissão que sempre está em alta e nunca perderá sua importância, independente de quanto tempo se passar.

É importante destacar que, apesar de serem muito atrelados aos anos iniciais da educação, sobre o ensino para crianças, Alfabetização e Letramento também podem ser trabalhados com jovens e adultos que estejam nessa fase de aprendizado. Ou seja, sua importância é ainda mais ampla dependendo da situação.

Preparamos um artigo especial para contar tudo o que é importante saber sobre o assunto, desde o seu significado, passando pela importância que tem na vida de todas as crianças, até finalmente mostrar como você, profissional da educação, pode se habilitar para atuar nesse segmento em específico. Fique conosco até o final, pois será uma leitura bastante acrescentadora.

O que é Alfabetização e Letramento?

A grande maioria das crianças tem o primeiro contato com as letras na escola, durante os anos que integram a Educação Infantil. Porém, ao contrário do que muitos pensam, os conceitos de alfabetização e letramento têm significados diferentes. Nem sempre o aluno alfabetizado é, necessariamente, letrado.

Bom, de maneira mais simples, podemos dizer que o indivíduo que passou pela etapa de alfabetização sabe ler e escrever, basicamente juntando as letras, sílabas e formando palavras. Já o letrado é aquele que, além de saber ler e escrever, sabe interpretar e responder adequadamente às demandas da sociedade em relação ao uso da leitura e da escrita.

Os conceitos podem ser explicados de maneira mais efetiva com base nos estudos de Alfabetização e Letramento da professora e pesquisadora Magda Soares. Para a autora, a alfabetização é o processo no qual a criança assimila o aprendizado do alfabeto e a sua utilização como um código de comunicação. Enquanto o letramento é saber usar essa leitura e a escrita para:

  • Seguir instruções com a leitura de bula de remédio, manuais, receitas, etc.;
  • Apoiar à memória, por exemplo, criar listas;
  • Comunicar-se através da escrita ou leitura de recados, bilhetes, mensagens, etc.;
  • Informar-se através de notícias;
  • Orientar-se com mapas ou nas ruas sabendo interpretar os sinais de trânsito, por exemplo.

Porém, mesmo com as diferenças, é de extrema importância que a Alfabetização e o Letramento sejam trabalhados de forma paralela e entendidos como conceitos complementares, que precisam ser trabalhados juntos.

Fundamentos da Alfabetização

A escrita surgiu da necessidade de se guardar o registro histórico de nossos antepassados. Primeiramente, veio em forma pictográfica ou desenho ou símbolo, após isso, surgiram os ideogramas, que foram substituídos pelos silabários e, posteriormente, surge o alfabeto.

Mas como foi a evolução da escrita ao longo dos anos? Abaixo listamos o histórico desde que tudo começou:

  • Os registros mais antigos de pictóricos e ideográficos (símbolos e desenhos), foram encontrados na Mesopotâmia, 5500 anos atrás.
  • Após essa fase, os símbolos passam a terem valores fonéticos, com isso, menos signos são utilizados.
  • Construído pelo povo fenício em Biblos, no século XV a.C., surge o alfabeto, composto de 22 símbolos.
  • No século XV a.C., os gregos atribuíram sons a cada signo do alfabeto.
  • Durante o período do Renascimento, entre os séculos XV e XVI, com o avanço do trabalho da imprensa na Europa e a publicação de obras literárias lidas, houve preocupação com a alfabetização.
  • Em 1540 é lançada a primeira cartilha de gramática portuguesa.
  • No final do século XIX, a escolarização passa a ser obrigatória.
  • No início do século XX, surge a cartilha do ABC, composta por exercícios de soletrar, separar vogais e consoantes, com o objetivo de ensinar aos que dela faziam uso.
  • Atualmente, apesar dos avanços tecnológicos, ainda ocorre grande defasagem no ensino da leitura e da escrita voltada para o exercício da cidadania.

Como é a Pós-Graduação em Alfabetização e Letramento?

Com o curso de Alfabetização e Letramento o aluno ficará apto para atuar com estudantes dos anos iniciais do Ensino Fundamental e também, como já havíamos mencionado anteriormente, com jovens e adultos que estejam nessa fase do ensino, trazendo reflexões importantes sobre o aprendizado da leitura e a aquisição da escrita como práticas sociais.

O EAD (que tem sido a modalidade preferida por novos alunos nos últimos anos) tem uma carga horária total de 450 horas, sendo 75 horas para cada uma das seis disciplinas que compõem o curso. São elas:

  • Novos Paradigmas Educacionais
  • Novos Caminhos para Profissionais da Educação
  • Temas Sociais e Educacionais Contemporâneos
  • Neurociência e Linguagem
  • Fundamentos de Alfabetização e Letramento
  • Alfabetização: Práticas Sociais de Leitura e Escrita

O principal público-alvo dessa especialização são educadores das redes pública e privada, pedagogos, gestores educacionais, psicopedagogos, psicólogos, fonoaudiólogos e demais profissionais da área educacional que demonstrem interesse pelo tema.

Por que escolher a Especialização em Alfabetização e Letramento EAD?

A primeira vantagem de fazer a Pós-Graduação em Alfabetização e Letramento a distância é poder escolher o tempo de duração no qual pretende ou prefere concluir a pós, tendo como opções 6, 9 ou 15 meses.

Outro ponto importante que devemos destacar diz respeito aos materiais ofertados aos alunos dos cursos de especialização EAD. Com essa metodologia, o aluno é o protagonista do próprio aprendizado e pode escolher de que forma quer estudar, podendo optar ou não pelo uso de materiais impressos.

Sendo assim, é preciso que seja avaliado de qual forma há melhor absorção dos conteúdos, com livros ou videoaulas. Mas a nossa dica, pensando na qualidade do seu aprendizado, é que seja feita a união das duas formas de estudos. Tanto é que, seja nos livros impressos ou nos digitais, é possível encontrar QR Codes que, ao serem lidos, levam o aluno direto para a videoaula correspondente àquele assunto.

Por fim, é preciso destacar outro ponto importante a ser destacado em relação ao EAD: nessa modalidade apenas o ritmo de aprendizagem do aluno é o que importa. Com as aulas a distância é possível, por exemplo, acelerar um assunto que já domina, ou aprofundar os estudos de um tema no qual haja maior interesse ou no qual exista uma maior dificuldade no aprendizado. Dessa forma, o seu aproveitamento é ainda maior e, consequentemente, os seus resultados também serão.

Equipe de redação do Canal do Produtor

Cada integrante de nossa equipe carrega consigo uma valiosa coleção de experiências e habilidades singulares, culminando em um conjunto coeso que busca incansavelmente a excelência na criação de conteúdo. Nosso objetivo primordial é superar as expectativas, oferecendo aos nossos leitores uma experiência que não apenas enriqueça, mas também permaneça na memória.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

nove − 6 =