Como a pandemia do coronavírus afeta o ensino superior?

Devido a situação atual do Brasil e as dificuldade enfrentadas desde o início de 2020, precisamos falar sobre como a pandemia do coronavírus afeta o ensino superior no Brasil e no mundo. Sendo assim, separamos alguns pontos importantes para discutir sobre assunto. Também vamos falar sobre quais mudanças tendem a permanecer, ou seja, quais são as perspectivas para a educação superior pós-pandemia. Afinal, é preciso tirar ensinamentos desse período, para que a educação continue em desenvolvimento. Então, confira o texto até o final e deixe a sua opinião nos comentários.

Como a pandemia do coronavírus afeta o ensino

Devido a necessidade de isolamento social, muitas instituições de ensino fecharam as portas da educação presencial. Sendo assim, começou um impasse, os alunos continuaram pagando as mensalidades mesmo sem aula. Do outro lado, as instituições de ensino precisavam manter o pagamento de professores e todas os outros profissionais envolvidos no dia a dia de ensino. Além de seguir com o calendário de estudos. Sendo assim, uma das alternativas foi adotar o ensino EAD. Assim, os alunos poderiam continuar seus estudos de casa, respeitando as orientações da Organização Mundial da Saúde contra a proliferação do vírus.

É verdade que o ensino a distância ganhou o seu espaço e já faz parte da realidade educacional. Porém, essas instituições mencionadas anteriormente, não desenvolveram seus cursos pensando no ensino a distância. Elas apenas tiveram que adaptar o ensino devido as circunstâncias do momento. Sendo assim, houve e ainda há algumas dificuldades pelo caminho. Como os alunos que precisaram adaptar o ambiente de aprendizagem em casa, com dispositivo com acesso a internet e um local para colocar os estudos em dia. Assim como, os professores que precisaram fazer um novo planejamento de aulas e incluir a tecnologia no ensino. Afinal, precisamos levar em conta que não são todos os profissionais que possuem intimidade com o uso das tecnologias.

Sendo assim, os principais efeitos da pandemia no ensino superior foram em relação a digitalização do ensino feita as pressas. Porém, há outros pontos. Por exemplo, diversos alunos precisaram trancar os cursos, pois perderam seus trabalhos e fontes de renda. Professores também foram demitidos devido a crise financeira. As instituições que dependiam de vestibular para contar com novas alunos também precisaram adaptar essa avaliação

Mudanças no ensino superior ocasionadas pela pandemia do coronavírus

Sendo assim, como já falamos anteriormente, o ensino a distância já fazia parte da educação, mas agora ele tende a ser o futuro da educação pós-pandemia. A ideia é que a maioria das faculdades adotem ou a metodologia EAD ou o ensino híbrido, em que os alunos mantém alguns encontros presenciais por semana. Afinal, dessa forma, há economia dos dois lados, tanto para a faculdade quanto para o estudante, mas sem ter perda de qualidade no ensino. Mas, é preciso lembrar que as faculdade que já adotavam o EAD antes da pandemia, tendem a sair na frente. Afinal, toda a metodologia foi criada do zero pensando no ensino a distância.

Essa é uma das maiores perspectivas para a educação superior pós-pandemia. Sendo assim, precisamos falar sobre o papel dos professores nessa nova realidade. Afinal, cada vez mais, serão utilizadas estratégias tecnológicas para aperfeiçoar o ensino, desde a educação infantil até o ensino superior. Por isso, é necessário que os professores, pedagogos e demais profissionais da educação estejam preparados para isso. Dessa forma, serão cobradas algumas especializações, para que esses profissionais se adequem as mudanças e possam ver a tecnologia como uma aliada na educação. Dessa forma, desde já, houve um aumento significativo na procura por especializações relacionadas a novas tecnologias no ensino.

Diferença entre educação a distância e ensino remoto

Dessa forma, falamos bastante sobre a diferença das instituições que já adotavam o EAD e aquelas que fizeram a alteração devido a pandemia. Sendo assim, é preciso ressaltar que há diferença entre a educação a distância e o Ensino Remoto Emergencial (ERE). Afinal, mesmo que ambos os formatos utilizem a tecnologia como ferramenta para o ensino, o ERE  é uma solução rápida e deve ser temporária, devido ao caráter emergencial do momento.

Então, do mesmo jeito que os professores precisarão se especializar para encarar as mudanças na educação, as faculdades que adotavam o ensino presencial também precisarão reformular seus cursos de nível superior para melhor atender seus alunos. Afinal, a tecnologia deve ser um facilitador na educação.

Efeitos da pandemia na educação do mundo todo

Sendo assim, mesmo que tenhamos focado no Brasil, é preciso lembrar que os efeitos da pandemia na educação ocorreram no mundo todo, assim como, a própria pandemia. Por isso, mesmo que tenhamos ideias de perspectivas para a educação superior pós-pandemia, será necessário acompanhar as alterações e saber quais pontos resultam em melhores resultados para cada país.

Relembrando alguns marcos importantes, em 3 de março de 2020, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) divulgou os primeiro números globais sobre o fechamento de escolas e alunos afetados. Com isso, foi informado que treze países haviam adotado meditas preventivas, o que incluía o fechamento temporário tanto de escolas quanto universidades. Dessa forma, houve um impacto na vida de mais de 290 milhões de estudantes em todo o mundo.

E nessa mesma época, a UNESCO incentivou os países a apoiar estudantes e suas famílias, assim como, facilitar programas para a implementação do ensino a distância inclusivo em larga escala. Depois desse primeiro anúncio, muita coisa aconteceu no Brasil e no mundo. E, muitas mudanças ainda são esperadas na educação, tanto para levar em consideração o combate a pandemia quanto depois que a situação melhorar.

Sendo assim, o único ponto certo é de que haverá mudanças nos próximos anos na educação. Então, a esperança que fica é de que a pandemia tenha deixado uma lição, um momento de aprendizado para que a educação, assim como outras áreas, sai mais fortalecida disso tudo. Para acompanhar os dados atuais e chegar em melhores resultados, há muitas pesquisas em desenvolvimento atualmente. Então, precisamos aguardar seus resultados para saber quais mudanças serão tomadas no Brasil e em todo mundo.

Equipe de redação do Canal do Produtor

Cada integrante de nossa equipe carrega consigo uma valiosa coleção de experiências e habilidades singulares, culminando em um conjunto coeso que busca incansavelmente a excelência na criação de conteúdo. Nosso objetivo primordial é superar as expectativas, oferecendo aos nossos leitores uma experiência que não apenas enriqueça, mas também permaneça na memória.

Conheça Mais Sobre o Autor

Deixe seu Comentário

4 × dois =