Central de Comunicação // CNA

06/07/2018

Aula prática de Legislação e Política Florestal na área experimental do Projeto Biomas na Amazônia

Marabá / Pará (06/07/2018) - Alunos da disciplina “Política e Legislação Florestal” da Universidade do Estado do Pará (UEPA) estiveram, no dia 14 de julho,  na área experimental do Projeto Biomas na Amazônia, localizada em Marabá.

A visita foi capitaneada pela professora Dra. Syglea Lopes, advogada e professora da Universidade do Estado do Pará (UEPA), campus de Marabá, na região sudeste do Pará.  O objetivo foi oferecer aos alunos um momento de reflexão sobre a relação das atividades de pesquisa e sua contribuição para políticas públicas, em especial aquelas voltadas à recuperação de áreas alteradas e/ou degradadas. 

“Na ocasião da visita, destacamos, além da importância das áreas de reserva legal e de preservação permanente para as quais urgem medidas de recuperação, as áreas destinadas à produção, indicando a possibilidade de introdução da árvore à produção agropecuária no Estado do Pará”, afirmou Syglea. 

No depoimento final dos alunos, verificou-se que eles compreenderam a importância da pesquisa do Projeto Biomas, cujo foco manteve-se na indicação de técnicas viáveis sustentáveis para a recuperação e produção na Amazônia, muito além da exploração florestal manejada, pois o cenário atual indica a necessidade do uso de técnicas objetivando recompor os espaços alterados/degradados pela atividade agropecuária. Cite-se, como exemplo, o uso de técnicas simples utilizadas para reaver espaços de voçorocas, reconstituindo solos e consequentemente mantendo os preciosos recursos hídricos. Além da possibilidade de uso de sistemas integrados de produção, como a Integração Lavoura Pecuária e Floresta (iLPF) e de sistemas agroflorestais (SAFs). 

“Verificou-se que a pesquisa, um dos instrumentos da política agrícola, pode influenciar na adoção de políticas públicas indicando técnicas a serem utilizadas para o cumprimento da Legislação Florestal, algumas das quais já disponíveis no sistema Webambiente, com indicação até das melhores espécies a serem utilizadas, por exemplo”, concluiu Syglea. 

O coordenador regional do Projeto Biomas na Amazônia, Dr. Alexandre Mehl Lunz, engenheiro florestal e pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental corrobora as afirmações da Dra. Syglea. “A receptividade foi tamanha que os estudantes produziram um pequeno vídeo com depoimentos e tomadas aéreas da nossa área de pesquisa, como um agradecimento pela oportunidade prática de aprendizado no campo”, afirmou. Confira o vídeo:

Sobre o Projeto Biomas 
O Projeto Biomas, iniciado em 2010, é fruto de uma parceria entre a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com a participação de mais de quatrocentos pesquisadores e professores de diferentes instituições, em um prazo de nove anos. Os estudos estão sendo desenvolvidos nos seis biomas brasileiros para viabilizar soluções com árvores para a proteção, recuperação e o uso sustentável de propriedades rurais nos diferentes biomas.

O Projeto Biomas tem o apoio do SENAR, SEBRAE, John Deere e do BNDES. Na Amazônia, o Projeto Biomas é conduzido na área experimental da Fazenda Cristalina, em São Domingos do Araguaia, PA, e na área de referência da Fazenda Taboquinha, em Marabá, PA. No Bioma Amazônia, o projeto é coordenado pelo Dr. Alexandre Mehl Lunz, da Embrapa Amazônia Oriental, com apoio da Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa), Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) e diversas outras instituições de ensino e pesquisa.

Assessoria de Comunicação CNA, com informações da Embrapa e UEPA
Telefone: (61) 2109 1419
www.projetobiomas.com.br

Veja também